Aos Pés do Mestre

Descrição

Neste livro Sadhu Sundar Singh, conta-nos uma experiência única com o nosso Senhor Jesus Cristo; de como de uma maneira maravilhosa teve uma preciosa e reveladora conversa com o Mestre.

Esta obra é de domínio público e está disponibilizada gratuitamente.

Basta escolher o formato abaixo:

PDF

Acrobat_DC_logo_SCREEN_RGB_48px.png

EPUB

EPUB_500x500px.png

KINDLE

logo kindle-jpg.jpg
Informações Adicionais
Sobre Sadhu Sundar Singh:

Em 3 de Setembro de 1889, Sundar Singh nasceu em Rampur, em uma região chamada de Patiala ao norte da Índia. Ele foi criado entre uma família rica. Como um Sikh, Sundar foi educado sobre os ensinamentos do hinduísmo e vivendo junto com seus pais em templos hindus. Aos sete anos de idade ele já havia memorizado o Bhagavad-Gita, as canções de pessoas felizes, que é um longo e intrigante verso contendo lições de vida.

Aos dezesseis anos, não só ele tinha dominado os Vedas, os livros sagrados do hinduísmo antigo, mas como também já havia lido o Alcorão, o livro sagrado do Islã. Ele, então, conheceu alguns sadhus que lhe ensinaram o yoga. O sadhu é um hindu que dedica toda a sua vida à sua religião e abandona todos os prazeres mundanos.

Sundar permaneceu solteiro e sem um trabalho secular durante toda sua vida. Ele viajou por toda a Índia vestindo um roupão amarelo, sem comida e sem qualquer residência permanente. Ele viveu somente da oferta de outras pessoas.

Quando se tornou um cristão, foi rejeitado pelo seu pai e condenado ao ostracismo (deserdado) por sua família. Em 16 de outubro de 1905, Sundar vestindo um manto amarelo, descalço como também sem provisões, retomou sua vida perambulante de aldeia em aldeia, mas desta vez, seguiu os passos de Jesus. Sundar Singh a princípio opunha-se fortemente ao cristianismo. Certa vez rasgou uma Bíblia em público e a queimou. Um dia, acordou às três da manhã e orou pedindo que, se Deus existisse, Ele se revelasse e lhe mostrasse o caminho da salvação. Se a oração não fosse respondida, Sundar Singh estava decidido a deitar-se sobre os trilhos e morrer sob as rodas do trem. Ele orou e aguardou, esperando ver qualquer divindade. Em vez disso, ele viu uma luz brilhando em seu quarto, o próprio Cristo. A partir daquele momento, Sundar Singh se tornou uma nova pessoa. Tomado pela paixão de proclamar a mensagem de Cristo, adotou uma vida simples de um religioso indiano. Mais tarde a influência de seus escritos tocaram cristãos em várias partes do mundo. Ele pregou em Londres, Paris, Alemanha, Estados Unidos e Australia.[1] Em 1906, ele foi ao Tibet, pela primeira vez em sua vida. Esse país o atraiu, principalmente por causa da grande resistência contra o evangelismo.

Sundar visitava o Tibet a cada verão. Em 1929, ele visitou o país novamente e nunca mais foi visto desde então. Sundar manifesta em sua vida o versículo escrito em Marcos 8:35 que diz: "Pois quem quiser salvar a sua vida irá perdê-la, mas quem perder a sua vida por amor de mim e do Evangelho irá salvá-la."

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sadhu_Sundar_Singh

Sobre o livro:

Certamente é muito difícil discernir quando uma revelação é genuína ou não. O discernimento espiritual se dá por meio dos sentidos e da mente espiritual, e por isso qualquer tentativa meramente humana para tentar discernir se algo vem de Deus ou não irá falhar.

É necessário estar em constante comunhão com Deus por anos para realmente crescer e obter um real e sólido conhecimento de Deus. Ainda que o conhecimento das Escrituras seja de extrema importância, não é o suficiente, e até mesmo posso dizer que não é o mais essencial ainda que necessário e de grande ajuda.

Assim como tenho feito nas últimas postagens por aqui, “Uma Visão do Julgamento Final” “Próximo do Fim”, novamente trago um conteúdo relacionado a visões espirituais que Deus tem dado a certos irmãos e irmãs. Ainda que já havia me justificado em parte sobre o motivo de dar credibilidade a certas visões/revelações que tenho lido sobre, gostaria de talvez acrescentar alguma coisa por aqui:

Infelizmente há de fato muita confusão com relação ao mundo espiritual e diversas pessoas de diversas religiões e mesmo sem religião alguma alegam ter tido alguma experiência, de terem os olhos abertos ao mundo invisível, o mundo espiritual. Eu por exemplo venho de uma família espírita (Espiritismo), com diversos relatos de experiências sensoriais ao mundo dos espíritos e de mensagens destes, nas quais há uma abundancia de confusão sobre a realidade espiritual. E assim o é com diversas culturas, povos e religiões em todo o mundo. Primeiramente é preciso entender que o mundo espiritual com sua infinidade de seres; anjos, demônios e outros espíritos; é uma realidade objetiva da qual nosso Senhor Jesus Cristo fala sobre e as testemunhas do Novo Testamento atestam sem qualquer dúvida, sendo portanto verdadeiro. Por outro lado, vemos que Moisés proibiu ao povo de Deus qualquer tentativa de se buscar uma comunicação com os espíritos (Deuteronômio 18:9-13), pelo glorioso motivo de que os israelitas haviam sido separados para Deus e que o próprio Eu Sou lhes falaria e ensinaria e supriria tudo quanto necessitassem. Também Isaías, adverte com clareza em seu livro da perversão de se buscar espíritos para nos orientar em vez do Deus Vivo (Isaías 8:19-22) e traz uma distinção sobre a revelação de Deus genuína que julgo ser importante. Ele diz “À lei”, ou seja, “as Escrituras” como fundamento sólido da Palavra de Deus e “ao testemunho”, que seria “o fato real concreto no mundo físico”, o resultado e os frutos de qualquer experiência considerada espiritual. É importante entender bem tudo isso para não haver confusão. Mesmo que a busca por orientação e satisfação e conhecimento através desses espíritos seja mal aos olhos de Deus, ao mesmo tempo Deus mesmo possuí um número incontável de espíritos e anjos que o servem, os quais em ocasiões específicas se apresentaram e trouxeram revelações, se comunicaram com homens de Deus como Abraão, o próprio Moisés, juízes de Israel, diversos profetas, o próprio Jesus, o apostolo João, etc. O que basicamente significa que quando tal associação com espíritos se dá a partir de uma iniciativa divina é algo santo e bom.

Um outro ponto que é preciso esclarecer é a respeito da Revelação de Deus. Há muitos mestres cristãos que ensinam que a Bíblia consiste na Revelação última e final de Deus, que após a Bíblia ter sido escrita Deus não tem nenhuma revelação adicional a dar, que a Bíblia é a Palavra de Deus e que nada fora dela o pode ser. Bem, basicamente acredito que grande parte dessas afirmações se da provavelmente ao que acredito ser uma interpretação inadequada de um dos pilares da Reforma Protestante que é o “Sola Scriptura” (Somente a Escritura). Não conheço a fundo o pensamento e os livros dos reformadores mas tenho conhecido a mente de Deus e acredito que a verdade envolvida aqui consiste em não anular a palavra de Deus com uma tradição que fosse humana e não fundamentada na palavra de Deus, como no caso de Jesus com os fariseus em Mateus 15. De qualquer maneira, você não irá encontrar essa ideia na Bíblia se estudá-la com cuidado, de fato você perceberá que ela fala a respeito de uma continuação da revelação e obra de Deus após os apóstolos. É bem simples, está escrito que “Portanto, vocês… são… membros da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, tendo Jesus Cristo como pedra angular, no qual todo o edifício é ajustado e cresce para tornar-se um santuário santo no Senhor.” (Efésios 2:19-21). Veja, Paulo está comparando a obra de Deus a um edifício, uma casa por exemplo, e então ele diz que eles, os apóstolos, são os fundamentos dessa casa, e que Jesus é a pedra angular (mestra); o que nos leva a entender que não são a casa inteira, nem que através deles toda a casa se tornaria conhecida mas somente a fundação dela. O que cada um de nós é, e temos recebido, é sobre isso que damos o testemunho, e o testemunho é a revelação de Jesus Cristo o qual é o Verbo/Palavra de Deus. O testemunho dos apóstolos e daquela geração não pode ser completo sem o testemunho e a vida de todos os filhos de Deus que vieram depois, e que juntamente com os apóstolos formam a Casa de Deus. Portanto, não é palavra de Deus o que o é da letra, mas sim o que o é do Espírito. Como Jesus disse: “Ninguém conhece o Filho senão o Pai, e ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele para quem o Filho O quiser revelar.” O fundamento de uma casa da o norte, direção, prumo, para toda a casa mas não é em si toda a casa.

 

A conclusão a que estou querendo chegar é de que sim, Deus continua a revelar e a acrescentar revelação ao que já tem revelado de Si mesmo ao longo dos séculos, e seremos bem-aventurados em beber das suas dádivas com louvor.

Muitas vezes não é necessário a Deus conceder tais revelações de uma forma explícita e visível, mas a visão escondida do Espírito no coração é mais usual, eficiente e talvez mesmo mais profunda. Todavia cabe a Ele decidir e não a mim e a você, e assim como Ele queira abrir Seus tesouros eternos, que Lhe sejamos gratos e com alegria possamos jubilar em Sua eterna bondade e misericórdia.

Neste livro, "Aos Pés do Mestre", Sundar Singh conta de uma maneira muito bela um encontro que teve com seu precioso e amado Mestre Jesus. Obtendo, por assim dizer, uma graciosa e esclarecedora conversa com Ele, Sundar Singh, busca traduzir em uma linguagem que nos seja acessível e compreensível tais preciosos ensinamentos que nosso Senhor lhe concedeu naquele encontro.

PDF

Acrobat_DC_logo_SCREEN_RGB_48px.png

EPUB

EPUB_500x500px.png

KINDLE

logo kindle-jpg.jpg

©2019 by A Voz do Vento